Uma introdução – Tudo começa aqui

A Tela Vazia

Parte da rotina de escrever  é encarar uma tela vazia, esperando que alguma coisa aconteça. Várias vezes me encontro nesse contato visual com a folha de papel, como quem diz “o que você quer eu faça?!”. Mas nunca ganho uma resposta. Por fim, desisto e vou ler um livro, que é uma tela que já foi usado e não me fará exigências.

O maior desafio na hora de preencher a tela é satisfazer a minha critica interior. Qualquer coisa fora da perfeição que imaginei é duramente exposta, criticada e jogada no fundo da gaveta. É fácil esquecer a nossa real motivação quando nos apegamos ao perfeccionismo. Quando isso acontece, perdemos o mais importa: o gosto por escrever.

Encarando meus medos

A ideia de iniciar uma coisa nova, e mostrar isso ao mundo, me deixa com um pouco de medo. Sempre há o medo não ser bom o bastante, para os outros e para mim.  Apesar desses medos, também existe a vontade de arriscar. Foi por isso que eu senti meu coração acelerar quando comprei o domínio, contratei o serviço de hospedagem. Então fui correndo dar vida e forma à minha página. E agora estou aqui testando as melhores palavras para usar nesse texto. Quero fazer postagem valer a pena.

O que vem pela frente?

Um projeto criativo onde vou apreciar cada momento, independente dos resultados. Com certeza não será um diário, por que eu não tenho mais a minha caneta de glitter. Mas vou usar algumas das minhas histórias e a minha experiência de vida para trazer um conteúdo que ressoe com alguém. Afinal, é maravilhoso descobrir que alguém nos compreende. Eu mais do que ninguém sei como isso é importante.

Esse foi o primeiro post, a parte mais fácil. Que venha o próximo capítulo dessa jornada.

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: